Dicas

Voltar
21/03/2013 10h39 - Atualizado em 21/03/2013 10h50

Depilação íntima brasileira pode aumentar risco de infecção

     A depilação íntima completa, conhecida como 'brasileira' nos Estados Unidos e Europa, pode aumentar o risco de infecções sexualmente transmissíveis. De acordo com um artigo do dermatologista francês François Desruelles no British Medical Journal, o procedimento pode estar associado ao crescimento de casos de molusco contagioso, doença causada por vírus e caracterizada por pápulas (verrugas claras) na pele. Os dados são do site The Body Odd, do NBC News.


     De 30 pacientes do médico com o problema, 93% eliminavam os pelos pubianos. “Remoção dos pelos pubianos é uma modificação do corpo por causa da moda, especialmente em mulheres jovens e adolescentes, mas também crescendo entre os homens. Pode ser um fator de risco para o molusco contagioso e talvez outras doenças sexualmente transmissíveis”, disse Desruelles. O profissional observou que uma pessoa infectada pode passar a lâmina sobre a pele e, quando seu parceiro ou parente a usa, acaba desenvolvendo a doença.


     Escoriações minúsculas ao se depilar também podem tornar mais fácil a infecção, se houver contato com a pele de alguém com o problema, segundo Robert T. Brodell, chefe da divisão de dermatologia no Centro Médico da Universidade de Mississippi, nos Estados Unidos.


     O alerta sobre a depilação não exclui outros cuidados. “O pelo em si não é uma barreira defensiva”, completou. Portanto, recomenda não fazer sexo com alguém que tenha verrugas na pele e nem compartilhar lâminas e toalhas.


 

Comentários

Consulta de Exames